Como Criar uma Pauta de Conteúdo? [Planilha Bônus Grátis]

Produzir conteúdo não é uma tarefa fácil mas pode ser moleza quando você sabe como criar uma pauta de conteúdo.

 

Se você ainda não trabalha com uma pauta de conteúdo ou não segue uma linha editorial, uma pergunta assombra sua cabeça:

 

Qual será o próximo conteúdo que irei criar?

 

Quando você trabalha com um documento de organização, neste caso a pauta, você consegue organizar suas ideias de uma forma incrível o que faz com que economize muito tempo e a qualidade do seu conteúdo fique ainda melhor.

 

Continue vendo este artigo para aprender como criar uma pauta de conteúdo.

 

Como criar uma pauta de conteúdo?

Pauta de conteúdo

 

A primeira coisa que penso quando vou criar um conteúdo é: quem vai consumir este conteúdo?

 

Para criar conteúdos com agilidade é preciso ter objetivo. Você precisa saber qual seu objetivo. Ensinar o cliente, vender para o cliente, apenas instruí-lo, etc.

 

É fundamenta ter o cliente em mente e saber em qual etapa de vendas ele está.

 

Com isso em mente, é hora de definir algumas coisas importantes que vão dar ainda mais agilidade para você criar o conteúdo.

 

Eu gosto inicialmente de definir o tipo de conteúdo que vou criar, por exemplo: Lista top 10, Como Fazer, Checklist, Guia, eBook, Estudo de Caso, entre dezenas de outros.

 

Assim que você define o tipo de conteúdo é hora de definir o formato que você irá criar o conteúdo: texto, vídeo, áudio, imagem, etc.

 

Uma observação importante aqui é já descartar os formatos de conteúdo que você não consegue criar no momento. 

 

Vamos imaginar que você não possui câmera, então não é possível criar conteúdos em vídeos. Assim também é aplicado para os outros formatos.

 

Definindo as categorias da Pauta de Conteúdo

 

Com o tipo de conteúdo e o formato já definido, é hora de definir as categorias da pauta.

 

É necessário conhecer bem o que você quer oferecer e também seu público para listar todas as categorias que você irá trabalhar.

 

Por exemplo, eu listo como categorias da minha pauta de conteúdo os seguintes temas:

 

  • Otimização de sites
  • Usabilidade
  • E-mail Marketing
  • Estratégias de Marketing
  • Criatividade
  • Empreendedorismo
  • Pequenos Negócios
  • Inbound Marketing
  • Vendas
  • Conversão
  • Redes Sociais
  • Design
  • Links Patrocinados

 

Todos os temas estão totalmente ligados a minha área de atuação e também estão ligadas as diversas personas que eu busco atingir.

 

Você precisa da mesma segmentação na hora de escolher as categorias que irão compor sua pauta de conteúdo.

 

Com todas estas definições já resolvidas, a última parte da minha pauta eu defino a oferta. Veja abaixo.

 

Como definir a oferta na pauta de conteúdo

 

Para definição de oferta na hora de criar seu conteúdo, para acertar em cheio, é importante que você conheça muito bem seu cliente.

 

Quais são as maiores necessidades e dificuldades de seu cliente? Se você ainda não sabe, trate de pesquisar agora mesmo.

 

Na minha pauta de conteúdo, os temas que utilizo na hora de criar a oferta são:

 

  • Atrair clientes
  • Aumentar Vendas
  • Aumentar Fãs
  • Melhorar engajamento
  • Melhorar produtividade
  • Mensuração
  • Baixo investimento
  • Aumentar lista de e-mail
  • Melhorar conversão
  • Criar autoridade
  • Melhorar posicionamento

 

E na prática, como fica tudo isso? Veja abaixo:

 

Tipo de Conteúdo: Lista top 10

Mídia: Texto

Categoria: Redes Sociais

Oferta: Atrair clientes

Título do conteúdo: 10 ferramentas para redes sociais que vão atrair uma enxurrada de clientes.

 

Viu como tudo fica mais fácil? A pauta de conteúdo é fundamental para quem trabalha ou está envolvido no processo de criação de conteúdo. Se você quiser baixar a minha pauta de conteúdo eu vou deixar disponível neste link, basta clicar para acessá-la.

 

Abaixo você pode conferir em mais detalhes como funciona a minha pauta de conteúdo.

 

 

Espero que tenha gostado. Deixe seu comentário!

Como vender pelas Redes Sociais, sem ser chato e sem gastar muito?

A divulgação focada em vender pelas redes sociais pode trazer muitos resultados em curto prazo para sua empresa.

 

Mas muitas empresas começam a divulgar seus produtos pelas redes sociais pensando que vão atrair milhares de clientes rapidamente.

 

Isso é possível, mas muitos se esquecem de levar em consideração alguns pontos.

 

Divulgar nas redes sociais e atrair clientes não é uma tarefa fácil e rápida, mas é totalmente possível.

 

Nos próximos parágrafos vou compartilhar com você algumas dicas para divulgar seus produtos e para que você possa atrair clientes pelas redes socais.

 


Por que vender pelas redes sociais?

 

como vender pelas redes sociais

 

Se sua empresa ainda não está nas redes sociais, você pode estar deixando de atuar em um mercado que seu concorrente está tomando conta.

 

As redes sociais não são importantes, mas sim fundamentais para divulgar seus produtos.

 

Para você ter uma ideia do tamanho do público que existe nas redes sociais, recomendo o vídeo Redes Sociais Mais Usadas.

 

Neste vídeo você encontrará informações como a quantidade de usuários ativos no Facebook, Instagram, Linkedin, Whatsapp e diversas outras informações sobre redes sociais.

 

Só para você ter um gostinho, no Facebook existem mais de 1,71 bilhões de usuários ativos. Será que vale a pena divulgar seus produtos nesta rede social?

 


Criando sua estratégia para atrair clientes e vender pelas redes sociais

 

Nesta etapa é que a maioria das pessoas cometem alguns erros.

 

Eu sempre escrevo aqui no site que oferecer “shampoo para carecas” é algo que não trás resultados.

 

Então conhecer bem o público que você irá trabalhar é fundamental para que você possa oferecer soluções assertivas para ele.

 

Se você não criar um planejamento, uma estratégia sobre a divulgação do seu produto ou sua empresa, cuidado, reveja alguns pontos importantes:

 

  • Quem são meus consumidores?
  • Qual o Perfil dos meus consumidores? (sexo, idade, etc)
  • Quais as principais necessidades desse consumidor que meu produto pode atender?
  • Quais as redes sociais que esses consumidores estão localizados?

 

Estas são somente algumas questões para você analisar e desenvolver sua estratégia para atuar nas redes socais.

 

Existem algumas ferramentas que podem lhe ajudar na hora de criar o perfil desse público, como é o caso do Audience Insights do Facebook.

 


As melhores formas de vender pelas redes sociais sem ser chato

 

como vender pelas redes sociais sem ser chato

 

Infelizmente muitas pessoas que se dizem vendedores acabam queimando a imagem de bons vendedores que existem no mercado.

 

Estou falando daqueles vendedores mal humorados, que atende com mau gosto, que atendem 20 clientes de uma vez só, entre diversas outras situações.

 

É fundamental para que você tenha sucesso nas redes sociais, não seja esse tipo vendedor.

 

Você ou sua empresa precisa ser profissional, atenciosa, prestativa e sábia.

 

Vou lhe mostrar o exemplo onde um conhecido me envia comunicados via Whatsapp tentando vender um produto que é totalmente fora do meu perfil, veja abaixo:

 

como nao vender pelas redes sociais

 

O maior problema é que essa pessoa me conhece, sabe qual é meu perfil, e mesmo assim me envia esse tipo de “divulgação”.

 

As melhores formas de vender um produto pelas redes sociais sem ser chato são:

 

– Ter uma base de fãs

Quando você tem uma base de fãs no Facebook ou uma lista de emails, são pessoas que aceitaram a receber seus comunicados e a ouvir o que você tem a dizer.

É muito provável que esse consumidor esteja disposto a comprar algum produto seu.

 

– Criando conteúdos de qualidade

Criar conteúdos de qualidade é necessário para vender um produto.

Se você ficar só divulgando: “cinta modeladora que faz milagre” dificilmente você vai vender.

Agora se você criar um conteúdo do tipo “veja por que a cinta modeladora é ideal para grávidas que querem dar um jeito na cinturinha depois do parto”, fica muito mais fácil de gerar interesse nesse consumidor que já acompanha você.

 

– Anunciar

Para vender pelas redes sociais é necessário anunciar! 

Mas não quer dizer que quando falamos em anunciar você precisa investir rios de dinheiro.

Abaixo você vai entender mais sobre como investir em Marketing Digital.

 


Preciso ter muito dinheiro para vender nas redes sociais?

 

A resposta para essa pergunta é simples. Depende!

 

Depende de quantas pessoas você quer atingir e de qual o investimento que você possui.

 

Depois que você criar sua estratégia para vender pelas redes sociais, recomendaria que se você está começando a investir, vá com calma.

 

Separe uma pequena verba e vá fazendo teste aos poucos. Veja como está o alcance, a conversão, o envolvimento.

 

O cuidado que você deve tomar é não sair anunciando sem antes ter sua estratégia bem definida e todas as informações sobre a margem de seu produto, caso contrário você pode estar investindo e seu ROI estar negativo.

 


Quais as melhores redes sociais para vender e atrair clientes?

 

redes sociais mais usadas para vender
Clique para visualizar as redes sociais mais usadas

 

Você deve estar esperando que eu diga: “Ah, a melhor rede social para vender é o Facebook”, ou “A melhor rede social para vender é o Instagram”.

 

Eu diria que a melhor rede social para vender ou divulgar sua empresa é a rede social que seu consumidor utiliza.

 

Pelo Facebook ser a Rede Social mais utilizada no mundo, não quer dizer que você venderá rios de dinheiro por lá.

 

As vezes é melhor você utilizar redes sociais com poucos usuários mas que tragam altas conversões para seu negócio.

 

Eu indicaria que você analisasse seu público e posteriormente criasse a estratégia para atuar nas redes sociais.

 

Para saber mais o perfil dos consumidores em determinadas redes sociais, recomendo que você leia melhor rede social para empresas.

 

Espero que tenha gostado deste conteúdo!

 

Deixe um comentário abaixo.

Um abraço e até a próxima.

“Gastei” com um novo site e não obtive resultados, o que fazer?

“Gastei” com um novo site e não obtive resultados, o que fazer?

 

Se você acabou de investir em um novo site, quero lhe dar parabéns, pois provavelmente você estava procurando por mudanças ou por renovar o visual da sua empresa.

 

O problema é que existem muitas empresas que somente “vendem sites” e não se preocupam com o verdadeiro resultado.

 

Se você investiu em um novo site e ele não está lhe trazendo resultados, isso é um problema.

 

E neste artigo vou lhe mostrar como você pode identificar se seu site está trazendo resultados ou não, e como resolver os principais problemas para conquistar os primeiros resultados.


Como identificar se seu site não está tendo resultados?

 

gastei-com-um-novo-site-como-identificar-problemas

 

Existem algumas formas de identificar se seu site está ou não trazendo resultados.

 

Claro que se deve levar em conta de que forma você mede os resultados do seu site, por exemplo, resultado em vendas, em contatos realizados, emails capturados, compartilhamentos, entre outros.

 

O primeiro passo para que você consiga identificar os resultados do seu website, é fundamental que você tenha instalado o Google Analytics.

 

O Google Analytics é uma ferramenta essencial de avaliação para sua empresa no ambiente web.

 

analisar-website-google-analytics

 

Sem essa ferramenta instalada, é praticamente impossível acompanhar os resultados do seu site.

 

Alguns clientes “recém-sites novos” que me procuram para consultoria ou criação de conteúdo, comentam que não sabem ao menos quantos acessos o site tem.

 

Isso é um erro fatal que infelizmente muitas agências e desenvolvedores web cometem, não instalam essa ferramenta de análise no site do cliente.

 

Então, fique atento! Quando for desenvolver um novo site exija a instalação do Google Analytics.

 

Aliás, o seu site atual possui o Analytics instalado?


Principais motivos que fazem um site não dar resultados

Diversos motivos podem causar maus resultados em um site.

 

Podem ser fatores técnicos, falta ou excesso de ferramentas, falha humana, entre outros.

 

Mas não se preocupe, é possível reverter a situação do seu site.

 

Abaixo você vai entender os motivos que podem estar causando o declínio do seu site e como você pode solucionar esses problemas.

 

Os mais comuns são:

 

1- Criar um site sem objetivos iniciais

 

Este pode parecer um motivo fútil, mas esse é um motivo muito comum que faz com que sites não tenham resultados.

 

Algumas empresas criam sites apenas por que desejam um visual mais moderno ou diferente, mas esquecem totalmente do usuário, do cliente.

 

É aquela famosa frase, “o site tá com a cara do dono”.

 

Não cometa esse erro, se seu site objetiva algo, seja vendas, contatos ou qualquer outro objetivo, quem vai usar o site é o cliente e não você.

 

Sempre se atente a experiência de navegação do seu site.

 

O texto é legível? As imagens possuem boa qualidade? O site é de fácil navegação? O menu é de fácil entendimento? Possui campo para busca? Existe formulário de contato?

 

Esses são só alguns dos itens que você precisa identificar já no desenvolvimento do seu site.

 

Está gostando do artigo? Deixe sua avaliação.

[ratings]

 

2- Criar um site sem que esteja otimizado para os buscadores

 

Ter um site otimizado para os buscadores é fundamental atualmente.

 

Um site otimizado nada mais é do que ter um site que os buscadores gostem.

 

É um site que tenha um código limpo, que seja rápido, que não pratique spam, que seja atualizado com frequência e que seja de fácil navegação para o usuário.

 

Neste artigo falo mais sobre como otimizar seu site. São dicas extremamente simples que você mesmo pode fazer.

 

3- Criar um site que não é compatível com dispositivos móveis

 

Ter um site compatível para smartphones é uma regra.

 

O Google, por exemplo, está penalizando sites mais antigos que não se adaptam aos smartphones.

 

Isso se deve ao fato de que cada vez mais usuários estão utilizando o celular para navegar na internet.

 

Se um site não é navegável pelo celular, o que o Google faz? Penaliza e praticamente o extingue do ranking.

 

Esse é um motivo muito frequente, muitos empresários ainda não sabem disso.

 

Para você testar se seu site é compatível com dispositivos móveis, utilize a ferramenta Mobile Friendly do próprio Google. Basta digitar o endereço que a ferramenta irá fazer a análise do site.

 


Como resolver os principais problemas do seu site e conquistar os primeiros resultados?

 

como-resolver-problemas-no-website

 

Caso você tenha acabado de comprar um novo site e você se enquadra na maioria dos problemas citados acima, você tem alguns problemas para resolver.

 

Mas fique tranquilo, nem tudo está perdido!

 

A primeira coisa a se fazer é ter o Google Analytics instalado para que você possa acompanhar a quantidade de acessos, as páginas mais acessadas e diversas outras informações.

 

Depois disso, verifique se seu site é compatível com os dispositivos móveis.

 

Assim, siga essas dicas de otimização de sites que você conseguirá ter bons resultados com essas pequenas modificações.

 

E que tal receber uma análise gratuita do seu website?

 

Clique aqui e escreva para mim! Envie o endereço do seu website e quais suas dificuldades, assim posso dar uma olhada e lhe ajudar em algumas tarefas, ok?

 

Espero que tenha gostado desse conteúdo.

 

Um abraço e até a próxima!

Investir em Marketing Digital vale a pena?

Investir em Marketing Digital vale a pena? Sua empresa deve investir em Marketing Digital?

 

 “Investir em Marketing Digital não é mais uma opção e sim uma necessidade!”

 

Tenho certeza que você já viu e ouviu essa frase diversas vezes.

 

Muitas empresas e profissionais de marketing tem essa frase guardada na mente, mas será que realmente as empresas investem em marketing digital na mesma proporção como falam?

 

Teoricamente sabemos que se o objetivo de uma empresa é vender, seja serviços ou produtos, quanto mais conhecida ela for, mais ela vai vender.

 

E como uma empresa pode alcançar esse objetivo, de ser mais conhecida sem que use algum tipo de divulgação?

 

Qualquer tipo de divulgação custa e às vezes muito caro. Então neste artigo vamos falar sobre Investir em Marketing Digital vale a pena? E sua empresa deve investir em Marketing Digital?

 


Qual a diferença entre investir em Marketing Digital e investir em Marketing

 

investir em marketing digital ou marketing offline

 

O Marketing e o Marketing Digital, em minha opinião é a mesma coisa.

 

Mas sim, existem algumas diferenças entre um e outro, eu definiria da seguinte forma:

 

O Marketing Digital é o Marketing aplicado no ambiente digital.

 

Qualquer profissional que entenda de Marketing “tradicional” conseguirá aplica-lo no ambiente digital, desde que saiba utilizar as ferramentas corretas.

 

Quando falamos em investimento, existem diferenças entre um e outro.

 

Se você investe em um Outdoor, que é uma mídia off-line, que ninguém consegue clicar ou fazer o download do outdoor, você não está investindo em Marketing Digital.

 

Mas a arte gráfica que você utilizou no outdoor pode ser adaptada para um post no Facebook, assim podemos considerar Marketing Digital.

 

A diferença de investir entre um e outro é o público que você quer atingir.

 

Quando uma empresa investe em um outdoor, por exemplo, podemos imaginar que ela queira atingir determinado público que resida em determinada região da cidade.

 

A desvantagem é que as mídias “off-line” são difíceis de medir, seja alcance ou a conversão.

 

Já na mídia online, um post patrocinado no Facebook, por exemplo, pode ser direcionado para determinada região, para determinado perfil de usuário e é possível medir, cliques, impressões e tudo mais que se imaginar.

 


Vale a pena investir em Marketing Digital?

 

vale a pena investir em marketing digital

 

Há algum tempo atrás tive uma reunião com um possível cliente para conversarmos sobre o Marketing Digital do seu negócio.

 

Uma das primeiras perguntas que ele me fez foi:

 

“Darlan, vale a pena investir em Marketing na cidade de Arapongas? Pois os consumidores estão indo consumir em cidades vizinhas e esquecem os estabelecimentos aqui de Arapongas”.

 

Como você pode ver, ele mesmo já respondeu a pergunta.

 

Se os consumidores estão se esquecendo dos estabelecimentos da cidade, o que ele precisa fazer?

 

Precisa ser lembrado por esses consumidores!

 

É claro que concorrer com estabelecimentos maiores como redes, não é fácil.

 

Mas quando a empresa faz um trabalho de divulgação, desde que não seja intrusiva, a empresa começa a ser lembrada e começa a ser uma opção na mente dos consumidores, o que já é um grande passo.

 

Está gostando do artigo? Deixe sua avaliação.

[ratings]

 

 


Como investir em Marketing Digital?

Investir em Marketing Digital é muito fácil, mas você precisa ter alguns cuidados.

 

Imagine que você queira divulgar sua loja através do Marketing Digital e opte por anunciar no Google Adwords.

 

Se você não souber exatamente como funciona a ferramenta, quais palavras chaves que você deve anunciar e inúmeros outros fatores, você pode perder dinheiro rapidamente.

 

Se isso acontecer, provavelmente você criará a opinião de que investir em marketing digital não vale a pena!

 

Abaixo separei alguns passos fundamentais para que você se atente antes de criar qualquer campanha no ambiente digital.

 


Passos fundamentais para investir em Marketing Digital

 

Passos fundamentais para investir em marketing digital

 

Pra ser sincero não existem regras para investir em Marketing Digital, mas sim alguns cuidados.

 

Afinal, quem gosta de perder dinheiro não é?

 

Digo perder dinheiro, pois se você não tomar alguns cuidados você poderá estar oferecendo “shampoo para carecas”, deu pra entender né?

 

Então vamos lá:

 

Passo 1 – Definir qual seu objetivo ao investir em marketing digital

O primeiro passo para saber como você investir em Marketing Digital é definir qual o objetivo.

 

Como assim definir o objetivo? Eu quero aumentar as vendas, ora bolas!

 

Sim, eu sei que você e todo mundo quer aumentar as vendas, mas isso é bem genérico, não é?

 

Um objetivo mais claro seria, por exemplo, aumentar as vendas em 10, 20 ou 30%, ou aumentar em 15% as vendas do produto x durante o mês de dezembro.

 

Viu como ficou mais claro?

 

Tenha em mente quais são os objetivos da empresa no momento de anunciar, pois assim você consegue ter uma breve ideia do investimento necessário para atingir esses objetivos.

Passo 2 – Definir qual o prazo do investimento

 

O segundo passo está bastante relacionado ao primeiro. Definindo seu objetivo, é necessário definir por quanto tempo você deseja ou necessita investir.

 

Você pode desejar investir durante 01 dia e pode acontecer de não alcançar seu objetivo em 01 dia.

 

Então durante sua campanha, conforme seus resultados forem aparecendo, você terá uma ideia de quanto tempo precisa investir para conseguir seus objetivos.

 

Isso é bem abrangente, pois vai depender muito do produto, do público para quem está anunciando, do momento econômico e até mesmo da data em que você anunciar.

 

Mas o ideal é que você tenha em mente um prazo, por exemplo, durante 01 semana vou investir XX reais para aumentar em 10% as vendas do produto X.

 

Lembre-se de definir prazos e investimentos realistas, ok?

Passo 3 – Medir os resultados do seu investimento

 

O que não é medido não é gerenciado. Este 3º passo necessita de muita atenção!

 

A vantagem do ambiente digital é que é possível medir tudo.

 

Quando digo tudo é tudo mesmo, número de cliques, visualizações, downloads, entre diversas outras informações.

 

Caso você não meça os resultados do seu investimento, você pode se iludir de que esteja conseguindo bons resultados.

 

Por exemplo: “Nossa, essa semana vendi 40 produtos a mais do que no mês passado, uau!”.

 

Mas qual foi o investimento para conseguir essas 40 vendas? A margem da venda desses produtos pelo menos cobre a divulgação?

 

Caso contrário você estará “rodando” no vermelho.

 


Resumindo:

Investir em Marketing Digital vale a pena sim! Lembrando que é necessário ter alguns cuidados, como em qualquer outro investimento.

 

Aproveitar momentos de recessão econômica pode ser grandes oportunidades para sua empresa, devido que seu concorrente pode estar com medo por não saber se vale a pena ou não investir em Marketing Digital.

Espero que tenha gostado deste conteúdo.

 

Deixe seu comentário abaixo.

 

Um abraço e até a próxima!

Blog X Página de Vendas, qual a diferença? Os dois podem ser a mesma coisa?

Qual trás mais resultados, blog X página de vendas?

 

Você tem um blog ou tem uma página de vendas? Qual deles está gerando vendas ou resultados em negócios para você?

 

Existem milhões de blogs e páginas de venda distribuídas pela internet, mas qual a diferença entre eles?

 

Será que um blog pode ser uma página de vendas ou uma página de vendas pode ter cara de blog?

 

Se você quer saber qual a diferença entre um e outro você está no lugar certo.

 

Vou falar neste artigo sobre o que é um blog, o que é uma página de vendas e se os dois podem ser a mesma coisa.

 


Blog X Página de Vendas: O que é uma página de venda?

As páginas de venda são páginas independentes criadas com um propósito específico, vender determinado produto.

 

Também pode ser uma página para vender um serviço, variando de acordo com o tipo de produto que você ou sua empresa oferece.

 

O propósito da página de vendas é: receber visitantes e convertê-los em clientes.

 

Quais os tipos de página de vendas?

Existem diversos tipos de páginas de venda, veja abaixo:

 

  • Página de venda curta
  • Página de venda longa

 

Os dois tipos de páginas possuem estruturas semelhantes, os fatores que diferenciam uma da outra normalmente é o comprimento da página.

 

Página de venda curta

Abaixo você pode ver um exemplo de página de venda curta.

 

blog x pagina de vendas - pagina de vendas meusucesso

 

É uma página que está promovendo a escola de insights Meusucesso.com.

 

O Meu Sucesso é uma plataforma de ensino online onde são abordados estudos de caso com empresários reais e aulas com diversos experts de áreas distintas.

 

Normalmente uma página de vendas curta possui:

 

– Cabeçalho com um título chamativo

“Estude a trajetória de vários empreendedores de sucesso e amplie sua rede de contatos”;

 

– Uma ou várias imagens exibindo uma prévia do produto

No caso a imagem ao fundo do cabeçalho;

 

– Principais diferenciais do produto;

Aprenda com empreendedores de sucesso, Aulas com os maiores experts do Brasil, Amplie sua rede de contatos, Divulgue seu projeto;

 

– Benefícios em adquirir o produto;

Conecte-se com as pessoas certas, mais de 20 horas de conteúdo inédito por mês, metodologia exclusiva, rede social exclusiva para assinantes;

 

– Box para captura de informações do usuário;

Comece a estudar gratuitamente agora mesmo por 7 dias;

 

– Call To action para induzir o usuário para a ação;

Botão “Quero aproveitar os 07 dias gratuitos”.

As páginas de vendas curtas podem ter algumas variações. Um elemento a mais ou a menos, mas normalmente são poucos elementos.

Algumas vezes possuem vídeo de vendas mas nem sempre estão presentes, ao contrário da “call to action” que sempre estão presentes.

Página de venda longa

 

Como o próprio nome diz, a página de vendas longa é uma página em formato longo.

 

Normalmente possui TODAS as informações necessárias sobre o produto. Também é chamada de “carta de vendas”.

 

É uma página projetada para o usuário ter todas as informações que precisar apenas nesta página.

 

Uma das páginas mais bem elaboradas que eu já vi até hoje é a página do curso Facebook Essencial, da Camila Porto.

 

pagina-de-vendas-grande-camila-porto
Clique na imagem para ver a página completa.

 

Nesta página de venda podemos encontrar elementos como:

  • Cabeçalho com chamada principal;
  • Vídeo de Vendas;
  • Apresentação do vendedor/produtor;
  • Benefícios do produto;
  • Depoimentos de quem já adquiriu o produto;
  • Cases de sucesso de usuários que já utilizaram o produto;
  • Mais depoimentos em formato de texto mostrando alguns resultados;
  • Estrutura do Curso ou do Produto;
  • Informações sobre o investimento e pagamento do produto ou curso;
  • Call to Action;
  • Garantia;
  • Perguntas Frequentes;

 

Ou seja, é uma página bem longa, recheada de conteúdos. Se o usuário cair na página e tiver a intenção de comprar, essa única página sanará todas as dúvidas e irá converter o visitante.

 

Agora você já conhece as características e os objetivos das páginas de vendas.

 

E o blog? É possível ter um blog de vendas?

 

Está gostando do conteúdo? Deixe sua avaliação abaixo!

[ratings]

 


Blog de artigos ou blog de vendas?

 

artigo-blog

 

O termo blog vem do inglês “web log” que significa diário da rede.

 

É um site que possui uma estrutura que permite rápida atualização e publicações de diversos usuários.

 

Você deve conhecer alguns blogueiros famosos, como Hugo Gloss, Izzy Nobre, Renê Fraga, Edu Testosterona, entre milhares de blogueiros de diversos nichos.

 

Mas a verdade é que: o blog é uma ferramenta para compartilhar informações, dicas, tutoriais, reviews, opiniões, entre outros assuntos.

 

E quando que uma informação, uma dica, um tutorial, um review não pode ter o objetivo de vender algo?

 

Vender através de blogs é totalmente normal. Inclusive existem diversos cursos que ensinam você a criar artigos focados em venda, os famosos artigos de conversão.

 

Os artigos de conversão, em outras palavras, é uma página de venda em formato de artigo.

 

A diferença é que ao invés de ter todo um design trabalhado, elementos visuais, call to actions trabalhadas e vídeos de vendas, por exemplo, o artigo de conversão é focado em conteúdo textual.

 

Eu poderia citar vários blogs aqui para você que possuem artigos de conversão, como por exemplo:

 

 

Conclusão:

O blog e as páginas de venda podem sim ser a mesma coisa, a única diferença é que possuem formatos diferentes e podem servir diferentes públicos.

 

A ferramenta que irá resultar em mais vendas pode ser tanto o blog como as páginas de vendas curtas ou longas.

 

Irá depender muito do seu produto, da sua copy e das suas informações sobre o produto.

 

Minha recomendação é que você teste. Crie páginas de vendas curtas e longas, crie artigos de conversão e veja quais convertem mais.

 

Sempre faça testes.

 

Gostou do artigo? Tem algum amigo que possa se interessar por esse conteúdo, compartilhe!

 

Espero que tenha gostado e até a próxima!

 

 

O Blog realmente trás resultados em vendas? E como medir o retorno do seu blog?

Um blog realmente trás resultados em vendas? Como calcular o ROI do Blog?

 

Essa é uma pergunta que profissionais de marketing recebem com frequência de seus superiores quando estão iniciando um projeto em suas empresas.

 

Recentemente muitas empresas estão se interessando pelo Marketing de Conteúdo e buscando ferramentas para começar os trabalhos de Inbound Marketing, por exemplo.

 

O blog é uma das ferramentas mais cogitadas pelos profissionais de marketing e ao mesmo tempo existe muita dificuldade em provar o retorno sobre o investimento deste veículo.

 

A verdade é que sim, um blog pode trazer resultados em vendas, assim com o um site institucional, uma página no Facebook e até um perfil no Instagram.

 

O que você precisa saber é de que forma medir esse retorno.

 

É claro que mensurar o retorno de um blog pode ser um pouco complexo e impreciso, devido a diversos benefícios que um blog pode trazer para o negócio, principalmente a nível de lembrança de marca.

 

Aqui neste artigo você vai conhecer formas de calcular o ROI do blog, quais estatísticas analisar e quais informações apresentar.

 


O blog nas empresas

 

o roi do blog - o blog nas empresas

 

De acordo com uma pesquisa realizada pela RockContent, apenas 61,7% das empresas possuem blog corporativo.

 

Nesta pesquisa não foram pesquisados segmentos como Indústria, Moda, alimentação e alguns outros setores.

 

O fato é que ainda existe um mercado muito grande a ser explorado nesse segmento.

 

Ainda pouco utilizado, os blogs quando alinhados com a estratégia de comunicação da empresa podem render muitos frutos, leads, contatos e vendas. Você pode criar uma estratégia de automação de marketing e utilizar blogs e landing pages, clique para saber mais.

 


O primeiro passo para calcular o ROI do blog

O primeiro passo para você saber o retorno que seu blog trás, é:

Quanto custa para você manter seu blog?

 

Não adianta termos um blog que gera milhares de reais se não sabemos o valor que gastamos para manter ele funcionando, criar conteúdos, comprar imagens, entre outros tópicos.

 

Calcular o custo de um blog é muito fácil, você precisa calcular valores como:

  • Hospedagem
  • Domínio
  • Criação de Conteúdos
  • Compra de Imagens
  • Compra de Plugins

 

Caso você ou alguém da sua equipe desenvolva os conteúdos, tente determinar o valor da hora dessa pessoa para calcular o valor da criação desse conteúdo.

 


Definindo as métricas do seu blog

 

definindo as métricas - calcular o roi do blog

 

Agora que você tem uma ideia de quando custa para você manter o blog, iremos criar os famosos KPIs (Key Performance Indicator) ou nada mais nada menos que o indicador-chave de desempenho.

 

Os números mais básicos que você precisa medir no seu blog são:

  • Número de Visitantes
  • Número de Leads Gerados
  • Número de contatos realizados
  • Número de compartilhamentos
  • Número de clientes gerados

 

Para que você possa acompanhar essas informações, você precisa ter instalado no seu blog o Google Analytics, uma ferramenta gratuita de análise do Google.

 

Assim você terá todas essas informações e conseguirá criar metas para medir a conversão e saber quantos leads você tem gerado, qual o número de visitantes, entre outras métricas.

 

Está gostando do artigo? Deixe sua avaliação abaixo:

[ratings]

 


Como calcular o ROI do seu blog

Iremos fazer uma simulação bem simples.

 

Com essas primeiras informações em mãos, imaginemos que você receba 5000 acessos por semana.

 

Desses 5.000 acessos, 120 usuários são convertidos em leads, onde você captura o nome, telefone e email.

 

Então você tem uma taxa de aquisição de leads de 4,16%, ok?

 

E desses 120 leads, 2 viram clientes da sua empresa. Assim você teria uma taxa de conversão de clientes de 0,6% por semana.

 

Fácil até aqui, certo?

 

Agora inserindo os valores nessa conta.

 

Para que você atraia 5.000 visitantes por semana, imaginemos que você precisa investir R$ 800,00 incluindo os custos fixos (citados logo acima) e também os custos de publicidade.

 

Veja a tabela abaixo:

 

 

Investimento Visitas/Semana Leads Clientes
R$ 800,00 5.000 120 2

 

Isso nos trás os seguintes números:

Investimento Visitas/Semana Leads Clientes
R$ 800,00 5.000 120 2
Custo por visitas Custo por Leads Custo por Cliente
R$ 0,16 R$ 6,67 R$ 400,00

 


Chegando ao valor do ROI do blog

 

Pronto, aqui já temos um valor para calcular o ROI, retorno sobre o investimento do nosso blog.

 

Com esses números fictícios, chegamos a um valor de R$ 400,00 para a aquisição de cada cliente.

 

Sim, esse pode parecer um valor assustador, mas dependendo do nicho de negócio, esse é um valor baixo.

 

Cito como exemplo o segmento moveleiro, onde um cliente comprador pode adquirir carretas de produtos para distribuir em diversas redes de lojas.

 

O valor de R$ 400,00 é muito baixo perto do lucro que esse cliente pode trazer para a empresa.

 

Agora sabendo que o seu custo para você atrair um cliente é de 400 reais, você precisa analisar o ticket médio desse cliente, a rentabilidade, entre outros números.

 

Facilmente você conseguirá calcular o retorno que seu blog está gerando de acordo com os novos clientes.


 

Esse foi um artigo para lhe ajudar a calcular o retorno que o blog empresarial pode trazer para sua empresa.

 

É muito importante que você tenha total controle em todas as etapas e fique antenado em todas essas métricas citadas acima.

 

Se lembrar de alguém que gostaria de ver esse conteúdo, compartilhe!

 

Espero que tenha gostado, se este artigo lhe ajudou de alguma forma, deixe um comentário, será um prazer ouvir sua opinião.

APP Arapongas – 1º Evento da APP Arapongas com Presenças de Peso.

App Arapongas (Associação dos Profissionais de Propaganda de Arapongas) foi lançada nesta quinta-feira dia 31 de agosto.

 

Foi um evento realizado no Senai unidade Arapongas, onde diversos profissionais de Marketing, Publicidade, Empresários e Estudantes estiveram presentes.

 

No evento de inauguração a profissional Alexandra Ruy Bertasso palestrou sobre o tema “Diferenciação de Mercado”.

 

app arapongas - alexandra ruy
Lançamento APP Arapongas – Alexandra Ruy (Foto – Giancarlo Ferronato)

 


O que é a App Arapongas?

 

A APP é uma Associação de Profissionais de Propaganda. Uma das mais antigas associações de publicitários da América do Sul que foi fundada em 1937.

 

Segundo o site oficial da APP Brasil, “A APP nasceu da necessidade da atividade publicitária ter uma voz que não se calasse diante dos temas e desafios do negócio publicitário e do profissional de propaganda.” 

 

Entre um dos objetivos da APP, o que mais me chamou a atenção:

 

Propiciar a interação dos profissionais para a troca de experiências que fertilizem umas as outras e tornem o desempenho profissional de cada um e do todo cada vez mais sólido e eficiente.

 

Concordo plenamente e defendo muito a participação em eventos e trocas de experiências.

 

Acredito que o contato pessoal é muito valioso, principalmente para nós profissionais de Marketing, Publicidade, Propaganda, Vendas, e outras áreas relacionadas.

 

A APP Arapongas foi trazida para a cidade por um grupo de empresários que visam o crescimento e a profissionalização do mercado publicitário de Arapongas.

 

Rony Delgado, Kleber Bertasso, Felipe Pimenta e Wellington Martins são alguns dos responsáveis pelo projeto nascer na cidade de Arapongas.

 

A APP Arapongas é composta pelos seguintes nomes:

 

Presidente: Rony Delgado Siqueira

Vice Presidente: Felipe Luiz Pimenta

1º Diretor secretário do conselho de Administração: Wellington Martins

2º Diretor secretário da Diretoria Executiva: Júnior Fugi

2º Diretor Secretário: Kleber Bertasso

Conselho Fiscal: Bruno Lopes e Walter Anselmo.

 

app arapongas 2016 - lançamento
Lançamento APP Arapongas (Foto – Giancarlo Ferronato)

 


Lançamento APP Arapongas

 

Tive o prazer de estar presente neste evento e rever diversos amigos e profissionais da área.

 

Por mais que a cidade de Arapongas seja pequena, muitas vezes acabamos não tendo contato direto com muitos profissionais e amigos da área.

 

Diversos profissionais da área de Marketing como Daniel Nissola (DJ Móveis), Antenor Romanini (Arkivo A), Lucas Franco (Línea Brasil), Thiago Luchese (Expoara), Amanda Oliani (Moinho Arapongas) entre outros nomes prestigiaram o evento.

 

Outros profissionais ligados a área de Marketing e Publicidade também participaram do evento como Jaqueline Marques (Nicioli), Rodrigo Felici (Revista da Cidade), Leandro Baldin (Unopar), Sérgio Zanco (Pier 16) e diversos outros nomes de peso estavam na inauguração da APP Arapongas.

 

Desculpe por não citar todos os que estavam presentes, muitos ainda eu não conheço. Espero conhecer no decorrer dos eventos realizados pela APP Arapongas.

 

lançamento APP Arapongas

 

O evento foi muito bem organizado, planejado e executado. Gostaria de parabenizar todos os organizadores e todos os profissionais envolvidos para que o evento acontecesse.

 

Sobre a participação na comunidade APP, acredito que em breve estarei fazendo minha associação, como já dito prezo muito pela participação de eventos, palestras, cursos, etc.

 

Sob meu ponto de vista, um pequeno ponto poderia ter trazido maior efetividade ao evento (na associação de novos integrantes) que é a existência de um calendário de eventos.

 

Muitos participantes do evento comentaram sobre a participação na associação, mas gostariam de saber quais serão os próximos eventos, quais os planos, os próximos passos da associação.

 

É claro que a associação só tem a contribuir para o mercado Araponguense, mas se existisse um calendário de eventos, o projeto ficaria mais palpável para os profissionais presentes, assim talvez resultando em maior efetividade dos participantes.

 

Como Araponguense fico feliz em ver um projeto nascendo na cidade. Acredito e espero que essa iniciativa possa contribuir para o fortalecimento e crescimento de uma área em plena ascensão nos dias atuais.

 

E você, participou do evento? Deixe seu comentário aqui abaixo.

 

Um abraço e até a próxima!

Preparação para Black Friday – O que fazer para arrasar e vender MUITO no Black Friday?

“Preparação Black Friday para quê? O Black Friday é só mais uma data de enganação do comércio!”

 

“É só mais uma daquelas modinhas que o Brasileiro copiou dos Americanos.”

 

Sinceramente espero que você não pense assim, pois o Black Friday na verdade é uma das, se não a maior data do comércio eletrônico no Brasil.

 

Para você ter uma ideia do tamanho do Black Friday no Brasil, veja esses números da edição 2015:

 

  • 1,6 Bilhões foi o faturamento em 2015 (38% a mais em relação a 2014);
  • 2,77 milhões de pedidos em 2015 (24% a mais do que 2014);
  • Ticket médio de R$ 580,00 (11% a mais que 2014);
  • 1,64 milhões de e-consumidores fizeram pelo menos uma compra nas 24 horas da sexta-feira (dia do Black Friday);
  • Os produtos mais vendidos foram eletrodomésticos, celulares, eletrônicos, moda e acessórios e informática respectivamente.

 

Esta é uma onda que você pode escolher surfar ou então vê-la passar.

 

Se você escolheu ver passar, não recomendo que você continue lendo este artigo, agora se você quiser surfar, pegue um papel e caneta e continue aqui comigo.

 

É claro que como qualquer outra data do comércio, seja dia das Mães, dia das Crianças, Natal, entre outros, você precisa se preparar.

 

Eu odeio dizer isso, mas a preparação Black Friday precisa ser feita agora,  isso se você não estiver atrasado para o evento que ocorre dia 25 de Novembro.

 

Pode parecer que esteja longe, mas você sabe muito bem que os dias estão voando, e qualquer ação que você irá fazer, seja a menor que for, é necessário um bom tempo de planejamento, preparação e testes.

 


Preparação para Black Friday 2018

 

preparação para black friday

 

Você já começou a pensar no Black Friday 2018? Já decidiu quais serão os itens que você irá trabalhar nesta data?

 

Como está a estrutura do seu website? Se receber 1.000 acessos simultâneos, será que ele não sair do ar? Como está seu atendimento, você tem condições de prestar um bom atendimento?

 

O planejamento por mais simples que seja, é uma etapa fundamental do marketing para pequenos negócios.

 

Aqui abaixo vou colocar uma lista de alguns pontos fundamentais que você precisa se atentar para que possa realmente surfar na onda do Black Friday. 

 


Atendimento

 

preparação black friday - atendimento

 

Como citado acima, como está seu atendimento? Em dias normais seu atendimento pode estar maravilhoso, mas no dia da Black Friday?

 

Pode acontecer de seu site bater recordes de visitação nesta data. Será que seu atendimento dará conta?

 

Podem surgir várias dúvidas durante uma compra. Se seu site já recebe milhares de visitas, talvez seja interessante contratar atendentes exclusivos para esta data.

 

É claro que você precisa treiná-los. Não coloque qualquer pessoa pra atender seus clientes. É a mesma coisa que você contratar uma pessoa sem experiência nenhuma e coloca-la no balcão da sua loja para receber clientes.

 

Faça plantão no dia do Black Friday. Muitas pessoas ficam acordadas na noite de quinta-feira até meia noite para dar aquela olhadinha inicial nas ofertas. 

 

Sem contar os usuários que acessam os sites em horários de almoço, pois estão no trabalho e não querem deixar escapar aquela oferta.

 

Outro horário para ficar de plantão é o período da noite. Provavelmente sua equipe já estará esgotada de trabalhar durante todo o dia, mas o período da noite promete ser o de maior venda. Brasileiro gosta de deixar as coisas para as últimas horas, não é?

 

Está gostando do artigo? Deixe sua avaliação aqui abaixo:

 

[ratings]

 


Diferença de preço antes e depois

 

preparação black friday - diferença de preço

 

Tome muito cuidado com os preços de seus produtos.

 

Não pense que o consumidor é ingênuo ou não está antenado nos valores.

 

Muitos consumidores pesquisam preços de terminados produtos semanas antes.

 

JAMAIS aumente o valor do produto e depois diga que está com desconto. É o famoso jargão “metade do dobro” que ficou bem famoso no Black Friday Brasil.

 

Procure fazer negociações com seus fornecedores, veja se existe a possibilidade de criar uma oferta especial para esta data em específico, entre outras medidas.

 


Identifique os produtos que mais vendem

 

Preparação Black Friday - produtos que mais vendem

 

Como citado no início do artigo, os itens mais vendidos respectivamente no Black Friday são:

 

  • Eletrodomésticos;
  • Celulares;
  • Eletrônicos;
  • Moda e acessórios;
  • Informática;

 

Existe um relatório (um dos mais completos e respeitados relatórios sobre ecommerce) chamado Webshoppers.

 

Neste relatório você encontra praticamente todas as informações que você deseja saber sobre comércio eletrônico.

 

Informações como categorias preferidas, perfil do consumidor, influenciadores de compras, qual o ticket médio de determinados produtos, entre diversas outras informações.

 

perfil dos consumidores - preparação black friday

 

Outra análise que você pode fazer é selecionar os produtos que você mais vende em épocas normais. Esses produtos podem ser interessantes para você trabalhar no Black Friday.

 

Se 70% da sua venda é referente a 5 ou 10 produtos, por que não analisa-los e ver que tipo de promoção você pode realizar?

 

Mas tome bastante cuidado na hora de realizar seus cálculos. Não vá diminuir a margem, queimar preço e levar prejuízo, lembre-se que o consumidor pode não gostar do produto, pedir devolução, entre outras situações.

 


Melhor pagar pelo que quero do que receber de graça o que não quero

 

Preste bastante atenção nos produtos que você vai escolher para o Black Friday.

 

Não adianta você colocar em promoção somente os produtos que estão encalhados no estoque. Você precisa colocar produtos que os consumidores estão procurando.

 

É melhor pagar pelo que você quer do que ganhar algo que você não quer.

 

Caso os produtos que você tenha em estoque são os produtos que os consumidores estão procurando, ótimo!

 

Se não, tente fazer venda casada. Se você tem pufs parados no estoque, tente vender junto a um sofá, a um painel de TV, a um Rack,  etc.

 


Como está a estrutura da sua loja?

 

estrutura da loja - preparação para black friday

 

Quando falamos em estrutura, existem alguns pontos que você precisa considerar:

 

1º Estrutura de navegação

A estrutura do seu site está intuitiva e de fácil navegação? Quantos cliques o usuário precisa dar para encontrar determinado produto?

 

Faça um teste você mesmo. Entre na página inicial do seu site e tente encontrar determinado produto.

 

Quantos cliques você demorou a chegar até ele? Foi fácil? Foi rápido? O site está lento?

 

2º Mobilidade

Este ponto é muito importante na preparação Black Friday. Se o seu site não é compatível com dispositivos móveis, sinto lhe dizer, mas você precisa considerar isso urgentemente.

 

Em 2015, as vendas por dispositivos móveis representaram 12% de todas as vendas online no Brasil.

 

vendas mobile - preparação black friday
Fonte: Webshoppers 2015

 

Esse número só tende a aumentar, pois já que celulares são a segunda categoria mais vendida no ecommerce e segundo relatório do IBGE, smartphones é o principal aparelho para acessar a internet no Brasil.

 

3º Capacidade do site

Se 10 usuários acessarem seu site simultaneamente, ele “aguenta”? Agora se 1.000 usuários acessar seu site ao mesmo tempo, a história já muita um pouco né?

 

Você precisa se certificar disto. Na Black Friday, praticamente todos os grandes ecommerces investem centenas de milhares de reais em divulgação e propaganda.

 

Como a mídia está divulgando em massa essa data do comércio, automaticamente você entra nessa onda.

 

Mesmo que você não estiver investindo pesado como os grandes players, sua base de clientes, seus fãs nas redes sociais e todos os usuários que conhecem o seu site, podem fazer uma visitinha na sua página para ver as ofertas.

 

E se o site sai do ar? Isso é péssimo para seu negócio. É a mesma coisa que você fechar as portas da sua loja dia 24 de dezembro.

 

Então certifique-se disso na sua preparação Black Friday. Verifique se seu site está hospedado em um servidor de qualidade e que irá “aguentar” picos de acesso.

 

Entre em contato com o responsável pela estrutura do seu website, fale com a empresa  responsável pela plataforma de seu ecommerce e converse sobre isto.

 

Certifique-se de que tudo está de acordo para que você não passe raiva e consiga “surfar nesta onda” tranquilamente.

 


Comunique com antecedência

 

comunique com antecedencia - preparação black friday

 

Esse é um ponto muito crucial na preparação Black Friday.

 

Como é uma data muito esperada pelos usuários, muitos ficam aflitos e ansiosos para comprar os produtos desejados.

 

É importante que os usuários e seus clientes saibam que você está participando desta data.

 

Muitas vezes os grandes players arrasam em datas como essa, pois eles se preparam assim que termina a data do ano anterior.

 

Por isso é importante que os usuários saibam que você também estará participando.

 

Crie antecipadamente comunicações para publicar nas redes sociais dizendo que sua loja participará do Black Friday.

 

Não deixe de criar um cronograma com todos os posts para facebook que você possa publicar e tenha consistência e clareza em suas publicações.

 

Inclusive é importante que você já planeje o layout do seu site.

 

Como será sua página inicial? Você trabalhará com banners, botões, o fundo do site vai mudar?

 

Pense em tudo isso agora para que você tenha tempo de criar, testar e acertar no dia.

 


É claro que a preparação Black Friday não termina aqui, existem diversos outros itens que você precisa se atentar para que tudo aconteça da maneira correta.

 

O contato com os fornecedores, transportadoras, marketing, atendimento, correios, etc.

 

Espero que esse conteúdo possa lhe ajudar na sua preparação Black Friday. É claro que o primeiro passo é sempre o mais difícil, mas tudo que é feito com calma e antecedência tem grandes chances de sucesso.

 

Planeje bastante e execute o máximo que conseguir com antecedência para que você não fique “doido” nos dias que antecedem o Black Friday.

 

Se gostou do conteúdo, deixe um comentário abaixo.

Um abraço e até a próxima!

Pesquisa de Marketing – Identifique e resolva MUITOS problemas na sua empresa.

[ratings]

 

A Pesquisa de Marketing é um passo que você precisa dar para atingir o sucesso empresarial.

 

Obter informações sobre o ambiente competitivo e sobre seus consumidores é a principal ferramenta que você pode ter para criar Estratégias de Marketing assertivas.

 

Analisar cenários e comparar suas ações com as do concorrente dá uma visão do que está acontecendo no mercado e faz entendermos mais rapidamente as necessidades dos clientes.

 

Quando você realiza uma pesquisa de marketing, ela te orienta nas tomadas de decisões e ajuda a solucionar problemas extremamente simples como uma mudança na sua embalagem.

 

Neste artigo você vai entender mais sobre:

  • para que serve e como usar um sistema de informações;
  • quais problemas a pesquisa de marketing pode solucionar;
  • entender todas as etapas para elaborar uma pesquisa de marketing;

 


O que é uma pesquisa de Marketing?

Pesquisa de Marketing tem com objetivo responder questões buscando reduzir riscos para qualquer tomada de decisão.

 

Principalmente neste momento “Big Data” em que vivemos, nenhuma decisão pode ser tomada sem antes ser realizado uma pesquisa e sem antes ter sido feita uma análise de dados.

 


O que é Sistema de informações mercadológicas (SIM)

 

sistema de informações - pesquisa de marketing

 

Tomar decisões pode parecer algo simples quando falamos sobre qual cor de gravata escolher ou qual camiseta utilizar para ir caminhar.

 

Agora quando falamos de qual segmento sua empresa pode atuar ou qual será o novo produto desenvolvido, já não é tão simples assim.

 

No ambiente empresarial, o que trará maior redução nos riscos para que você tome decisões seguras é o monitoramento dos ambientes empresariais.

 

Para isso, você precisa de um Sistema de Informações Mercadológicas. O (SIM) vai lhe ajudar a entender cenários e antecipar mercados.

 

Através deste sistema você irá monitorar dados como tecnologia, economia, consumidores, concorrentes, vendas, participação de mercado, custos, lucratividade, entre outros.

 

Quanto maior o número de informações para sua pesquisa de marketing, maiores suas chances de alcançar vantagens competitivas e menor será o grau de risco nas tomadas de decisões.

 

Por que são importantes tantas informações para tomadas de decisões?

 

Não adianta você ter informações apenas sobre o que seu cliente está procurando.

 

Entender o consumidor é fundamental, mas ele é apenas uma peça em todo o quebra-cabeças.

 

Obter informações de variáveis controláveis e incontroláveis como tecnologia, fornecedores e concorrentes é fundamental para sua pesquisa de marketing se tornar completa.

 


Como coletar informações para sua Pesquisa de Marketing

coletar informações - pesquisa de marketing

 

Existem diversas formas para você coletar e alimentar seu sistema de informações mercadológicas.

 

A primeira delas é através do:

Sistema de Registros internos

O sistema de registros internos é nada mais que você coletar informações da sua própria empresa como relatórios sobre pedidos, devoluções, vendas, reclamações, contas a pagar, entre outros.

 

São todas as informações que você tem acesso e que são de extrema importância.

 

Sistema de Inteligência de Marketing

A inteligência de marketing é responsável por buscar tudo que está acontecendo no mercado.

 

Isso pode ser feito acompanhando a internet, livros, revistas, jornais, conversas com consumidores, fornecedores, colaboradores da empresa, etc.

 

Algumas outras práticas também são utilizadas para coletar informações como “cliente oculto”, “benchmarking” e “consultas com clientes”.

Mas concorda que são diversas informações, e como analisar e avaliar todas essas informações?

 

Aqui é o coração da pesquisa de marketing.

 

Você está coletando informações de todos os lados e agora é a hora de você utilizar um sistema para centralizar todas essas informações.

 

Esse sistema pode ser um software, um sistema em si, que irá te ajudar na coleta, organização e análise de todos os dados que você tem.

 

Existem diversas ferramentas que podem te ajudar nesta etapa como é o caso da Oracle, Salesforce, por exemplo.

 

Pense em pesquisa de marketing como se fosse um presente que você precisa dar a alguém que você não conhece.

 

Você não vai comprar uma blusa vermelha para uma pessoa que você não sabe se é homem ou mulher, se essa pessoa gosta da cor vermelha, se a estação é inverno ou no verão, etc.

 

A pesquisa é a base de todo processo decisório. Sem pesquisa, qualquer decisão corre riscos de erros.

 


Quais problemas uma Pesquisa de Marketing pode solucionar

São diversos os itens que podem ser beneficiados através de uma Pesquisa de Marketing, veja alguns abaixo:

  • Qual é o preço que o consumidor está disposto a pagar pelo seu produto;
  • Que tipo de promoção tem mais efetividade;
  • Qual o preço que devemos inserir nos novos produtos;
  • Quem são seus principais clientes?
  • Quais são os principais concorrentes?

 

Como você pode ver, esses itens são extremamente abrangentes e podem auxiliar uma empresa a entender diversas mudanças no mercado.

 


Como realizar uma Pesquisa de Marketing?

 

como fazer uma pesquisa de marketing

 

Segundo Kotler, um dos maiores nomes mundiais da área de Marketing e Estratégias de Marketing, as principais fases de uma pesquisa de marketing são:

 

Definição do problema e dos objetivos de pesquisa

Nesta primeira etapa, seu objetivo é buscar respostas para uma pergunta que sua empresa deseja responder.

Por exemplo: Que tipo de produto irá inovar nosso mercado?

 

Desenvolvimento do plano de pesquisa

O desenvolvimento do plano de pesquisa é onde você irá escolher a fonte de dados que irá utilizar, quais os instrumentos que irá utilizar na sua pesquisa, qual será sua amostragem, entre outros fatores.

 

Coleta de informações

Nesta etapa muitas coisas podem acontecer. O orçamento ser maior do que o esperado, erros podem acontecer, informações podem não ser suficientes ou então os dados podem não ser confiáveis.

A sua empresa deve ter muito cuidado e atenção neste momento da pesquisa.

 

Análise das informações

Esta etapa se resume basicamente em extrair resultados com base nos dados coletados na etapa anterior. Esta é a hora da verdade, onde você pode descobrir as grandes oportunidades do seu mercado.

 

Apresentação dos resultados

A última etapa é a apresentação dos resultados e das análises realizadas.

 


A informação é o principal combustível para que você tome decisões em sua empresa ou qualquer tipo de negócio.

 

O objetivo de uma Pesquisa de Marketing é coletar esse combustível e filtrar o combustível bom do ruim, assim você poderá direcionar o combustível bom para sua empresa e descartar o ruim.

 

É claro que existem diversas outras informações complementares para que você realize uma pesquisa de marketing perfeita.

 

Você deve escolher que tipo de pesquisa irá realizar (qualitativa ou quantitativa), deve se atentar ao tipo de amostragem, qual será o método de coleta de dados, quais perguntas você irá utilizar na sua coleta de dados entre diversas outras informações.

 

A Pesquisa de Marketing não termina por aqui, se você tiver mais interesse sobre como realizar uma pesquisa de marketing perfeita, indicaria você ler os seguintes livros:

 

Pesquisa de Marketing – Uma orientação aplicada de Naresh Malhotra.

 

Espero que você tenha gostado desse artigo.

Deixe seu comentário abaixo.

Até a próxima!

Uma ideia (quase) milionária aos 18 anos e como uma Pesquisa de Mercado poderia ter mudado isso.

[ratings]

Como eu quase fiquei rico em 2008

pesquisa de mercado - como eu quase fiquei rico

 

Certo dia, em meados de 2008, eu queria criar algo para mudar o mundo e ficar rico.

 

Pensava em criar um aplicativo ou uma ferramenta genial, que tivesse muitos usuários e que futuramente alguma grande empresa compraria.

 

Esse era o plano!

 

É claro que em tudo que pensamos já tem algo parecido. É tão difícil criar algo original que muitas pessoas nem se dão o trabalho de pensar.

 

Mas eu estava focado em ter a melhor ideia de todas.

 

Entre as diversas ideias que tive, uma delas era criar um sistema que pudesse sincronizar arquivos de um computador para o outro, sem a necessidade de ter que enviar esse arquivo para a internet.

 

Era época de faculdade, então eu, meu grande amigo Sheslei e nosso querido Eduardo (que não está mais entre nós) já realizávamos alguns trabalhos profissionalmente.

 

Nós três cursávamos Marketing e Propaganda e sempre buscávamos aplicar o máximo possível do que era ensinado nas aulas.

 

Normalmente utilizávamos as nossas madrugadas para trabalhar e entregar alguns materiais gráficos para clientes, mas virar as noites não nos desanimava, nos dava mais gás ainda.

 

Era um mundo totalmente novo, estávamos atendendo clientes e não mais fazendo trabalhinhos de faculdade.

 


O grande desafio

 

o grande desafio - pesquisa de mercado

 

A nossa grande dificuldade era compartilhar arquivos entre nós, pois quando eu fazia alguma alteração em um arquivo, precisava compartilhar com eles dois.

 

Isso atrasava muito o fluxo de trabalho, pois precisávamos sempre fazer esse envio, para cada um visualizar o arquivo e reenviar caso tivesse alteração.

 

Foi aí que vi a oportunidade de desenvolver o sistema/aplicativo/ferramenta que iria nos deixar ricos (risos).

 

Um sistema que sincronize arquivos de um computador para o outro de forma automática e sem ter que ficar enviando o arquivo para a internet e encaminhando por email.

 

Então resolvemos falar com um amigo nosso que cursava Tecnologia da Informação na mesma faculdade, e explicamos a situação a ele.

 


A solução (incompleta)

 

solução incompleta - pesquisa de mercado

 

A única solução que esse amigo nos mostrou era transferir os arquivos via FTP, que na época já era algo incrível (mas não satisfazia nossa necessidade e desejo de ter algo personalizado).

 

Infelizmente fiquei barrado nessa dificuldade, por não ter conhecimento em tecnologia e muito menos em pesquisa de mercado, então acabei não levando a ideia para frente.

 

Acabou aí minha ideia de criar um sistema “revolucionário” para a época, que hoje poderia ser algo parecido com o Dropbox ou um Google Drive.

 

Na época não tinha muita noção do que significava pesquisa de mercado ou pesquisa de marketing, pois ainda estava no início da faculdade.

 

Alguns meses depois comecei a entender o quão importante era esse assunto.

 


A Pesquisa de Mercado

 

pesquisa de mercado - o que é

 

A pesquisa de mercado é a base do trabalho de uma empresa, de um negócio ou de uma ideia.

 

Uma empresa que não pesquisa sobre o seu mercado, não sabe que produto oferecer a seus clientes.

 

Um consultor que não pesquisa sobre seus clientes, não sabe que tipo de consultoria pode ter maior valor percebido.

 

Uma ideia não tem validade se você não pesquisa e entende o mercado potencial desta ideia.

 

Você precisa conhecer muito bem seu consumidor, entender qual a linguagem que ele utiliza, quais são seus valores, seus desejos, suas críticas, suas necessidades.

 

Se eu analisasse a minha necessidade de uma forma mais ampla, poderia ter enxergado a oportunidade do aplicativo com outra visão.

 

Poderia ter enxergado que mais pessoas poderiam estar precisando de um sistema como esse (e que alguns anos mais tarde poderia sendo utilizado em todo o mundo).

 


Por que é tão importante a Pesquisa de Mercado

 

Uma das principais funções do marketing é oferecer uma proposta de valor para o mercado-alvo e, para isso, é preciso conhecer esse mercado.

 

É muito importante que você invista tempo para entender seu público, pesquisar sobre suas motivações, suas dores, suas necessidades.

 

Um vendedor de imóveis ou de carros, por exemplo, ganha dinheiro porque ele tem informações que o comprador não tem.

 

Como o vendedor conhece muito sobre o mercado imobiliário ou automobilístico ele só mostra os benefícios de determinado produto e consegue aumentar muito o valor do produto.

 

A mesma coisa acontece com os médicos. Quem não gostaria de trabalhar cobrando por consulta?

 

Os médicos cobram um valor alto por consulta, pois possuem informações valiosas que você não tem. Quanto vale uma informação que você não tem sobre a sua saúde?

 

É claro que os médicos não adquirem todo o seu conhecimento realizando pesquisa de mercado, mas sim estudando o corpo humano, por exemplo.

 

A mesma coisa você pode fazer com seu consumidor, estudá-lo.

 

Se você tem informação do seu cliente (através de uma pesquisa de mercado, por exemplo), você terá informações valiosas que poderão ser utilizadas para aumentar o valor percebido do seu produto, para desenvolver novos produtos, para utilizar na comunicação da sua empresa, para lapidar sua ideia, etc.

 


Como entender seu consumidor através de uma pesquisa de mercado?

 

O seu objetivo ao fazer uma pesquisa de mercado deve ser entender cada vez melhor o comportamento do consumidor.

 

Por exemplo, recentemente recebi o contato de um possível cliente com algumas dúvidas sobre como divulgar a sua empresa pela internet, pois gostaria de melhorar os resultados de sua loja.

 

Esse cliente trabalha no segmento de móveis planejados.

 

A comunicação que ele utilizava em seu negócio é de “Móveis Sob Medida”.

 

Como você pode ver no gráfico abaixo, o termo “Móveis Sob Medida” é um termo que desde o ano de 2009 vem caindo em relação a quantidade de buscas.

 

móveis sob medida - pesquisa de mercado

 

Já o termo “Móveis Planejados”, como você pode ver no gráfico abaixo, é um termo que possui muito mais buscas do que “Móveis Sob Medida” e não está em declínio, mas sim se mantendo desde 2009.

 

móveis sob medida x móveis planejados - pesquisa de mercado

 

Teoricamente seria mais útil se este cliente utilizasse “móveis planejados” em suas comunicações, inclusive na fachada de sua loja.

 

Pode ser que o seu potencial cliente não esteja familiarizado com o termo “móveis sob medida” ou não conheça direito este termo.

 

Este é um exemplo simples e é claro que essa ferramenta do Google Trends só mostra um panorama das buscas realizadas na internet.

 

Mas as buscas que são realizadas no Google demonstram nossas verdadeiras intenções e necessidades. Buscamos no Google o que não ousamos a dizer a ninguém.

 

Atualmente o Google é uma das maiores e mais ricas fontes de informação para qualquer nicho de mercado.

 


Resumindo:

 

É extremamente necessário que você realize um estudo do seu público através de uma pesquisa de mercado para que você possa tomar certas decisões para o seu negócio.

 

Decisões simples como utilizar “Móveis sob medida” ou “Móveis Planejados” na fachada da sua loja.

 

Pesquisar, entender e se comunicar da maneira correta com seu público é uma forma fácil de criar seguidores, aumentar seus resultados e posicionar sua marca na mente de seu consumidor.

 

E você, como faz para entender o seu público?

 

Você pede opiniões sobre seus produtos/serviços?

 

Quando tem uma ideia genial, o que você faz para validá-la?

 

Quer mais dicas sobre como realizar uma pesquisa de mercado? Deixe seu comentário abaixo!

 

Espero que tenha gostado e até a próxima.